Escolha uma Página

A grande pergunta, você se considera uma pessoa ativa? Foi justamente essa pergunta que fiz aos alunos que estavam comigo num evento. Adivinhem a resposta? Aproximadamente 20% da turma disseram que sim, e os demais caíram dentro da estatística esmagadora que nos assola todos os dias.

Isso mesmo, hoje no mundo estamos sofrendo de completa inatividade física. Mas, o que é inatividade física? Esse é um termo que para muitos nem se quer imaginavam que existisse. É puramente inatividade completa de atividade física, não é aquele que faz exercício ou que já fez exercício, é aquele que nunca fez em sua vida. Esse número é assustador quando se revisa os principais artigos nessa temática, podendo chegar a uma cifra de até 45% das mulheres, e 40% dos homens nunca praticaram sequer um tipo de exercício na vida. Estamos falando de pessoas de uma faixa etária entre 30-45 anos de idade.

Você acredita nisso? Perguntei aos alunos, eles ficaram espantados. Na verdade, não era tão diferente assim os índices que eu estava levantando dentro da sala de aula, em que somente 20% praticavam algum tipo de exercício. Creio eu que se aplicarmos uma pesquisa em nosso país,podendo chegar a cifras bem maiores.

O Dr. Hallal explica em sua série publicada na maior revista cientifica de medicina, The Lancet, que 1/3 dos adultos e 4/5 dos adolescentes não realizam se quer a recomendação mínima de prática de exercício que é para adultos 150 min/semana de exercício e adolescentes 1h/dia de prática de exercício.

E qual é o significado disso? Você sabe? Bem, veja o seguinte. Hoje morre em todo mundo aproximadamente mais de 5.000.000 de pessoas por ano. Se reduzíssemos a inatividade física em cerca de 10%, estaríamos evitando cerca 533.000 mortes por ano. E, se essa margem for para 25%, ou seja, se reduzíssemos cerca de 1/4 das pessoas que são inativas fisicamente, estamos falando em evitar mais de 1.300.000 mortes por ano. Isso vale a pena? 

Cabe aqui fazer pelo menos duas perguntas. Mas, antes disso veja a figura abaixo.

1

No lado esquerdo, temos um montão de crianças brincando e no outro lado elas desapareceram. Essa é a nossa realidade. Elas estão a onde ? Pense bem nisso. O que estamos fazendo para reverter esse quadro?

Mais, o que nos leva a não fazer atividade física ? No fantástico temos um quadro que fala de emagrecimento, exercício, qualidade de vida, etc. Mas, o que estamos fazendo? Qual é a mensagem que queremos passar? Parece que queremos passar a mensagem de um bom corpo. Mas, como é que isso acontece? Será que resolve dizer para você não comer aquele brigadeiro? Resolve dizer a você que ficar parado faz mal a saúde? Ou dizer que inatividade física pode te levar para a morte?

Na verdade nada disso adianta. Tenho visto muito isso nos meus processos de coaching. Não adianta fazer uma dieta pensando em emagrecer 10 ou 15 quilos, mas sim pensar exatamente o que isso irá proporcionar para você.

E quando eu falo de exercício, é a mesma coisa. Como eu sei disso? Porque isso aconteceu comigo. Ao longo dos 20 anos da minha vida, pude adquirir bastante quilinhos e sempre tentei fazer exercício com essa viber, e nunca dava certo. Até que, descobri que precisamos sim de ter algo que nos motiva, que nos ergue, que faz com que você sinta-se responsável, como se fosse um enorme ponta-pé na seu traseiro, que te tire da sua roda de conforto e coloque você no ponto mais algo do desconforto. Isso aconteceu comigo, eu só comecei a melhorar a minha aderência a academia quando percebi que eu não queria emagrecer, nem ficar forte, mas queria ter saúde para poder ver a minha filha crescer, brincar com ela, nadar com ela, jogar bola com ela, pedalar. Isso é uma oportunidade que eu não posso se quer cogitar a hipótese de não ir fazer exercício.

Aqui deixo uma dica, uma super sacada, uma heartsacada, que é sentir uma oportunidade de fazer exercício, busque o que irá te proporcionar. Procure o que vai te motivar.